Botânica

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Carqueja - A carqueja, Genista tridentata (L.), é uma planta da família Fabaceae, comum no norte e centro de Portugal, cujas flores aparecem entre Março e Junho.
Pode ser encontrada um pouco por toda a Península Ibérica (sobretudo parte noroeste) e Marrocos, sendo típica de matos e matagais situados em terrenos ácidos.
É vulgarmente designada por: carqueija, flor-de-carqueija, querqueijeira.
Propriedades/Aplicações:
Culinária – As flores da carqueja são muito apreciadas na preparação de infusões (chá) e na confecção de certos pratos, por exemplo o arroz de carqueja, coelho à caçador e as hastes e flores na preparação de carnes de caça.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Erva caril, Helichrysum italicum - A Erva caril é uma planta da família das Asteraceas que cresce no estado selvagem no Sul da Europa, na bacia Mediterrânica (França, Itália, Jugoslávia).É originária da Córsega, França.
É também conhecida por Perpétua-das-areias.
Na Beira Baixa (Proença-a-Nova) é conhecida como Rosmaninho de São João, havendo uma tradição muito antiga em que as raparigas, no Verão, faziam coroas - CAPELAS - com as quais enfeitavam os cabelos ou as colocavam nas portas das casas para terem sorte.
Propriedades / aplicações:
Saúde - O óleo da erva caril é muito raro e precioso. Possui propriedades excecionais sobre vários pontos de vista. É anti hematoma, anticoagulante, antiespasmódico; mucolítico e cicatrizante,
antinflamatório e é também usado dermatologicamente.
Culinária – As suas flores são muito procuradas pelas abelhas, dando origem a um MEL delicioso e de qualidade.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Alfazema - As lavandas (popularmente conhecidas em Portugal pelo termo de origem árabe alfazemas) são plantas do gênero Lavandula, da família Lamiaceae. São pequenos arbustos com flores púrpuras e brotos de fragrância suave.
Propriedades/Aplicações:
Saúde – O óleo essencial da lavanda (do latim "lavare", "lavar") já era utilizado pelos romanos para lavar roupa, tomar banho, aromatizar ambientes e como produto curativo (indicado para insônia, calmante, relaxante, dores, etc.).
Uso em casa - As flores secas e embaladas em pequenos saquinhos de tecido de algodão ou de linho são utilizados para serem colocados entre as roupas e armários para lhes dar uma fragrância fresca e agradável, e também para impedir a presença de insetos e parasitas.
Uso comercial - O cultivo comercial da planta é para a extração de óleos das flores, caules e plantas, que são utilizados como antissépticos, em aromaterapia e na indústria de cosméticos.
Culinária - As flores de lavanda produzem um néctar abundante que rende um MEL de alta qualidade produzida pelas abelhas. O mel da variedade lavanda foi produzido inicialmente nos países que cercam o Mediterrâneo, e introduzido no mercado mundial como um produto de qualidade superior.
As flores da lavanda podem ser utilizadas como decoração de bolos.
A lavanda também é usada como erva isoladamente ou como ingrediente da erva da Provence (França).

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Rosmaninho –O Rosmaninho (Lavandula stoechas) é típico da região mediterrânica e habita em abundância nas matas do país. Os rosmaninhos portugueses são todos eles pequenos arbustos lenhosos, facilmente identificáveis pelo aroma e pelas espigas violetas geralmente pequenas (2 a 8 cm) que coroam a pequena copa.
Na Primavera chegam a tingir de violeta enormes extensões de terrenos incultos por todo o sul, interior e oeste portugueses.
Propriedades/Aplicações:
Saúde – Usa-se pela sua ação antiespasmódica. Usa-se também para a falta de repouso, dificuldades no sono e desequilíbrios funcionais do abdómen superior.
Externamente é usada para tratamento de problemas funcionais da circulação.
Vários estudos destacam as qualidades anticancerígenas do Rosmaninho, além de preventivo de doenças degenerativas.
Culinária –As flores da urze são muito visitadas pelas abelhas e produzem um MEL de qualidade de cor amarelada e de aroma e sabor muito doces devido à elevada concentração de frutose o que o torna recomendado em dietas isentas de açúcar (sacarose) enquanto adoçante natural.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Urze - Urze é o nome comum de diversas plantas da família Ericaceae. São espontâneas em terrenos pobres em cal e têm flores de cores diversas. As espécies existentes em Portugal são muito comuns e encontram-se em todo o país, mas sobretudo nas montanhas de granito a norte de Portugal continental. Contudo esta espécie chega até as ilhas da Madeira e do Porto Santo, podendo aí ser encontradas desde a sua descoberta.
Propriedades/Aplicações:
Saúde – As suas ramas floridas servem como adstringente e antisséptico.
Uso em casa – Em Portugal empregam-se muito as urzes para secar os fornos de cozer pão, assim como acender o lume, substituindo a carqueja.
Com as suas raízes grossas, vermelhas acastanhadas e muito duras faz-se um carvão de excelente qualidade.
Culinária -As flores da urze são muito visitadas pelas abelhas e produzem um MEL de alta qualidade apresentando uma cor escura.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

ALECRIM-O alecrim é um arbusto rústico e persistente, atinge de 50cm até 2 metros de altura, com folhas coriáceas, resinosas, lineares e verde-escuras na parte superior e verde-acinzentadas na inferior. As folhas emanam um forte e agradável aroma. As flores, brancas e rosadas, são muito procuradas pelas abelhas.
Propriedades/Aplicações:
Saúde - antisséptico
Uso em casa - inseticida natural, afastando os insetos indesejáveis (traça…)
Culinária – Utilizado na confeção de pratos de peixe no forno e carnes de caça.
As flores, brancas e rosadas, são muito procuradas pelas abelhas para produção de MEL.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Esteva - (Cistus ladanifer) é uma espécie de planta com flores da família Cistaceae. (Nome comum: Esteva; Estêva; Ládano; Lábdano; Roselha; Xara). É nativa da parte ocidental da região mediterrânica, crescendo espontaneamente desde o sul de França a Portugal e no noroeste de África. O nome, etimologicamente vem do grego "ciste", que significa caixa, cesto.
É um arbusto que atinge 1-2,5 m de altura e de largura. As folhas são verde escuro na face superior e mais claro na inferior e têm 5–8 cm de diâmetro, com 5 pétalas brancas finas, normalmente com um ponto vermelho a castanho na base de cada uma, rodeando os estames e pistilos amarelos. Toda a planta se apresenta recoberta com um exsudado de resina aromática.
Propriedades/Aplicações:
Saúde – As propriedades medicinais da esteva não estão ainda muito investigadas, mas sabe-se que é antisséptico, antibacteriano e antiviral, sendo utilizada externamente para lavar e desinfetar feridas, aliviar picadas de insetos. O seu óleo é usado como unguento.
Uso em casa - É uma planta ornamental popular, devido à sua folhagem aromática e belas flores.
Uso comercial - As folhas libertam uma resina aromática, o ládano usado especialmente como fixador de perfumes.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Camomila - A camomila-vulgar, camomila ou camomila-alemã (Matricaria recutita) é uma planta da família Asteraceae. É uma planta com uso medicinal, cosmético, alimentar e em outras áreas.
Propriedades/Aplicações:
Saúde – Usa-se pela sua ação anti-inflamatória, antissética, antialérgica, antifúngica e para problemas digestivos. Age como sudorífico. O banho de camomila é sedativo e restaurador de energia.
Uso comercial - O cultivo comercial da planta é para a extração de óleos das flores, caules e plantas, que são utilizados como antissépticos, em aromaterapia e na indústria de cosméticos (Sabonetes, champôs, cremes…)
Culinária - As flores de camomila (secas) utilizam-se para fazer chá e também em certos pratos.
As flores da camomila podem ser utilizadas para ornamentar espaços.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Silva – A Silva (Rubus sp.) é nativa da Europa e da região mediterrânica. Habita terrenos incultos, matos, matagais. Floresce entre Maio e Agosto. É conhecida pelos seus espinhos e surge espontaneamente, conquistando grandes quantidades de terreno.

 

 

ESPÉCIES MEDITERRÂNICAS

Carrasco -O Carrasco (Quercus coccifera) é um arbusto que só excepcionalmente atinge porte arbóreo. Originário do sul da Europa é espontâneo em toda a região mediterrânica. Em Portugal, é comum no centro e no sul. A madeira é semelhante à da Azinheira, não tem praticamente nenhum aproveitamento, no entanto, as raízes mais grossas podem ser usadas para a produção de carvão e, eventualmente para lenha.

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A MACIEIRA simboliza o AMOR

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

O PINHEIRO simboliza a SAUDADE

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A MURTA simboliza a DOR

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A NOGUEIRA simboliza a VIRTUDE

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

O PLÁTANO simboliza a GRANDEZA

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

O LOUREIRO simboliza o TRIUNFO

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A PALMA simboliza a JUSTIÇA

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A FIGUEIRA simboliza a DOÇURA

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A ACÁCIA simboliza a NOBREZA

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

O CIPRESTE simboliza a MORTE

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A OLIVEIRA simboliza o AMPARO.

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A VIDEIRA simboliza a ALEGRIA.

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

A AMENDOEIRA simboliza a ESPERANÇA.

 

 

AS ÁRVORES E SUA SIMBOLOGIA

...a acácia simboliza a nobreza
...a amendoeira simboliza a esperança
...a figueira simboliza a doçura
...a macieira simboliza o amor
...o cipreste simboliza a morte
...o loureiro simboliza o triunfo
...a murta simboliza a dor
...a nogueira simboliza a virtude
...a oliveira simboliza o amparo
...a palma simboliza a justiça
...o plátano simboliza a grandeza
...o pinheiro simboliza a saudade
...a videira simboliza a alegria

 

 

 

[Voltar]