Dias Comemorativos

O que é a Páscoa?

A Páscoa (do hebraico Pessach, significando passagem através do grego Πάσχα) é um evento religioso cristão, normalmente considerado pelas igrejas ligadas a esta corrente religiosa como a maior e a mais importante festa da Cristandade.
Na Páscoa os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo depois da sua morte por crucificação (ver Sexta-Feira Santa) que teria ocorrido nesta época do ano em 30 ou 33 da Era Comum. O termo pode referir-se também ao período do ano canónico que dura cerca de dois meses, desde o domingo de Páscoa até ao Pentecostes.

Os eventos da Páscoa teriam ocorrido durante o Pessach, data em que os judeus comemoram a libertação e fuga de seu povo escravizado no Egipto.

A palavra Páscoa advém, exactamente do nome em hebraico da festa judaica à qual a Páscoa cristã está intimamente ligada, não só pelo sentido simbólico de “passagem”, comum às celebrações pagãs (passagem do Inverno para a primavera) e judaicas (da escravatura no Egipto para a liberdade na Terra prometida), mas também pela posição da Páscoa no calendário, segundo os cálculos que se indicam a seguir.

A última ceia partilhada por Jesus Cristo e seus pelos discípulos é narrada nos Evangelhos e é considerada, geralmente, um “sêder do pesach” – a refeição ritual que acompanha a festividade judaica, se nos ativermos à cronologia proposta pelos Evangelhos sinópticos. O Evangelho de João propõe uma cronologia distinta, ao situar a morte de Cristo por altura da hecatombe dos cordeiros do Pesach. Assim, a última ceia teria ocorrido um pouco antes desta mesma festividade.


Origem: Wikipédia.

 

 

DIA DO TRABALHADOR

O Dia do Trabalhador ou Dia Internacional dos Trabalhadores é celebrado anualmente no dia 1º de Maio em numerosos países do mundo, sendo feriado em alguns deles e também em Portugal.


História

Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago nos Estados Unidos.
Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas. Nesse dia teve início uma greve geral nos EUA.
No dia 3 de Maio houve um pequeno levantamento que acabou com uma escaramuça com a polícia e com a morte de alguns manifestantes. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete agentes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haymarket.
Três anos mais tarde, no dia 20 de Junho de 1889, a Internacional Socialista reunida em Paris decidiu convocar anualmente uma manifestação com o objetivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o 1º de Maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago.
Em 1 de Maio de 1891 uma manifestação no norte de França é dispersada pela polícia resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo drama serve para reforçar o dia como um dia de luta dos trabalhadores e meses depois a Internacional Socialista de Bruxelas proclama esse dia como dia internacional de reivindicação de condições laborais.
Em 23 de Abril de 1919 o senado francês ratifica o dia de 8 horas e proclama o dia 1 de Maio desse ano dia feriado.
Em 1920 a Rússia adota o 1º de Maio como feriado nacional, e este exemplo é seguido por muitos outros países.
Apesar de até hoje os americanos se negarem a reconhecer essa data como sendo o Dia do Trabalhador, em 1890, a luta dos trabalhadores americanos conseguiu que o Congresso aprovasse que a jornada de trabalho fosse reduzida de 16 para 8 horas diárias.
Os Estados Unidos celebram o « Labour Day » na primeira segunda-feira de Setembro.


(texto adaptado) Wikipédia

 

 

HISTÓRIA DO DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

Após a 2ª Guerra Mundial, em 1945, muitos países entraram em crise e não tinham boas condições de vida. As crianças viviam muito mal, porque não havia comida e os pais estavam mais preocupados em voltar à sua vida normal do que com a educação dos filhos. Algumas crianças nem pais tinham porque os perderam durante a guerra.

Como não tinham dinheiro, muitos pais tiravam os filhos da escola e punham-nos a trabalhar, às vezes durante muitas horas e a fazer trabalhos muito difíceis e cansativos.

Mais de metade das crianças da Europa não sabia ler nem escrever e também vivia em péssimas condições o que originava, muitas vezes, problemas graves de saúde.

Em 1946, um grupo de países da ONU (Organização das Nações Unidas) começou a tentar resolver o problema, criando o «Fundo Internacional de Emergência para as Crianças». Foi assim que nasceu a UNICEF, uma organização mundial que se dedica a melhorar a vida das crianças.

Contudo, ainda era difícil trabalhar para a melhoria das condições de vida das crianças, uma vez que nem todos os países do mundo estavam interessados nos Direitos da Criança.

Foi em 1950 que a Federação Democrática Internacional das Mulheres propôs às Nações Unidas que se criasse um dia dedicado às crianças de todo o mundo.

Este dia foi comemorado pela primeira vez a 1 de Junho de 1950.
Assim, todos os estados membros das Nações Unidas reconheceram a todas as crianças do mundo independentemente da raça, cor, sexo, religião e origem nacional ou social o direito a:
•afecto, amor e compreensão;
•alimentação adequada;
•cuidados médicos;
•educação gratuita;
•protecção contra todas as formas de exploração;
•crescer num clima de Paz e Fraternidade universais.

Só nove anos depois, em 1959, é que estes direitos das crianças se tornaram oficiais, quando a 20 de Novembro, várias dezenas de países que fazem parte da ONU, aprovaram a "Declaração dos Direitos da Criança". Trata-se de uma lista de dez princípios que, se forem cumpridos em todo o lado, podem fazer com que todas as crianças do mundo tenham uma vida digna e feliz.

No 30º aniversário da " Declaração dos Direitos da Criança ", em 1989, a ONU também aprovou a "Convenção sobre os Direitos da Criança", que é um documento muito completo (e comprido) com um conjunto de leis para protecção dos mais pequenos (tem 54 artigos).

A criação do «Dia Mundial da Criança» foi muito importante para os direitos das crianças, que, apesar de tudo, nem sempre são cumpridos em muitos países.

 

 

UNICEF

Como já sabes da leitura da "História do Dia Mundial da Criança", depois da 2ª Guerra Mundial (1939-1945) as crianças de vários países da Europa viviam em muito más condições, sem saúde, casa, estudos ou alimentação.

Para as ajudar foi criado um "Fundo Internacional de Emergência para as Crianças", a 11 de Dezembro de 1946. Quem apadrinhou esta criação foi a ONU (Organização das Nações Unidas).

Sabias que mais tarde esta entidade ficou conhecida como UNICEF?

Alguns anos mais tarde, estes países começaram a poder tomar conta das suas crianças, sem a ajuda do "Fundo Internacional...".

No entanto, havia milhões de crianças de países pobres que continuavam ameaçadas pela fome e pela doença (principalmente em África, na Ásia, na América Latina e no Médio Oriente).

É claro que uma organização que se dedica à defesa dos direitos das crianças não podia ficar de braços cruzados!

Assim, em 1953, a pequena entidade torna-se uma membro constante das Nações Unidas e passa a chamar-se "Fundo das Nações Unidas para a Infância", mas mantendo a sigla que a tornou conhecida no mundo inteiro: UNICEF.

Desde então, a UNICEF ajuda milhões de crianças e trabalha em mais de 140 países em vias de desenvolvimento através de programas de saúde, educação, nutrição (alimentação), água e saneamento. O objectivo é melhorar as vidas de muitas crianças sem condições.

Sabias que quando há guerras ou catástrofes naturais a UNICEF vai ajudar as pequenas vítimas?

O dinheiro que a UNICEF usa vem de doações voluntárias do governo, de organizações não governamentais (que não são geridas pelo governo) de pessoas comuns.

Sabes o que é que isto quer dizer?

É que tu também podes ajudar a UNICEF e as crianças que mais precisam!

Como? Por exemplo, enviando cartões UNICEF aos teus amigos e familiares, oferecendo a tua ajuda directamente nas instalações da UNICEF, ou fazendo contribuições (aqui vais ter que pedir aos teus pais, mas podes sempre mostrar-lhes como isso é importante).

Sabias que a UNICEF também está em Portugal?
O seu objectivo principal é recolher fundos para os programas mundiais de ajuda a crianças. Também serve para informar e sensibilizar as pessoas para as necessidades e direitos de todas as crianças, onde quer que vivam.

Para mais informações podes contactar o:
Comité Português para a UNICEF
Avenida António Augusto de Aguiar, 56, 3º Esq.
1050-115 Lisboa
Tel.: 21 357 7500
Fax: 21 354 7913
E-mail: info@unicef.pt
Na Internet: www.unicef.pt

 

 

LUÍS DE CAMÕES

A biografia de LUÍS DE CAMÕES apresenta numerosas incertezas, desconhecendo-se o local exacto onde nasceu e a data do seu nascimento ( 1524 ou 1525 ).
Da incerteza que lhe rodeia a vida, destaca-se uma verdade indiscutível: CAMÕES - HOMEM - POETA - PORTUGUÊS. E foi tudo isto com tal grandeza que o seu nome ultrapassou fronteiras, galgou séculos e chegou até nós.
Deixou-nos a obra:
- Épica: - OS LUSÍADAS, maravilhoso poema que exalta os feitos e o povo português.
- Lírica: Poemas ( Sonetos, Canções, Odes, Elegias, Redondilhas ) nos quais cantou o Amor, a Mulher, a Beleza e o Desconcerto do Mundo (os seus sofrimentos e desilusões).
- Peças dramáticas: Anfitriões; El-Rei Seleuco; Auto de Filodemo.
Fez os seus estudos, possivelmente, em Coimbra. Frequentou a Corte de D. João III. Sabe-se que, ainda jovem, lutou contra os Mouros no Norte de África, onde perdeu um dos olhos em combate. Sofreu exílios e andou pelo Oriente e, numa das suas viagens, de Macau para Goa, foi vítima de um naufrágio, de que conseguiu salvar a custo o manuscrito d’ OS LUSÍADAS. Ao fim de muitos anos e com a ajuda de amigos, sem que a fortuna jamais lhe tenha sorrido, consegue regressar à Pátria.
D. Sebastião, a quem dedica OS LUSÍADAS, concede-lhe uma tença anual, irregularmente paga e insuficiente para se manter sem dificuldades nos últimos anos de vida. Morre a 10 de Junho de 1580.
Cantou a Pátria. Censurou os tiranos, criticando os que abusavam do poder e os que se deixavam seduzir pelo «ouro». Sofreu, lutou, conseguiu resistir à injustiça dos homens e às forças inimigas da natureza nos lugares mais distantes.

« Os bons vi sempre passar
No mundo graves tormentos;
E para mais me espantar,
Os maus vi sempre nadar
Em mar de contentamentos. »

Em toda a sua obra deu sobejas provas de talento, de sabedoria, de cultura, de uma grande experiência de vida em todos as aspectos.

 

 

HISTÓRIA DO DIA ESCOLAR DA NÃO VIOLÊNCIA E DA PAZ

O « Dia Escolar da Não Violência e da Paz » foi celebrado pela primeira vez em 1964 por iniciativa do pedagogo e poeta espanhol LLORENC VIDAL.
A comemoração deste dia tem como principais objetivos chamar a atenção para a necessidade de educar as nossas crianças e jovens para a não violência e para a paz, assim como sensibilizá-los para valores como a tolerância, solidariedade e respeito pelos direitos humanos.
Comemora-se a 30 de Janeiro nas escolas de todo o mundo.

 

 

«DIA DE PORTUGAL, DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES»

As origens do «DIA DE PORTUGAL, DE CAMÕES E DAS COMUNIDADES» remotam ao início do século XX (1924). O Dia de Camões começou a ser festejado a nível nacional com o Estado Novo (um regime instituído em Portugal por António de Oliveira Salazar).

Porquê Dia de Camões?

Camões representa o génio da Pátria e representa Portugal na sua dimensão mais esplendorosa e mais genial.

O feriado em sua honra celebra-se neste dia ( 10 de Junho ) uma vez que esta data foi apontada como sendo a da morte do poeta que escreveu "Os Lusíadas".

Porquê Dia das Comunidades?

Até ao 25 de Abril de 1974, o 10 de Junho era conhecido como o Dia de Camões, de Portugal e da Raça. Oliveira Salazar, na inauguração do Estádio Nacional em 1944, tinha denominado também o dia 10 de Junho como o Dia da Raça em memória das vítimas da guerra colonial.
A segunda república não se revê neste feriado, pelo que, em 1978, o converte em Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Dia das Comunidades porque neste dia se homenageiam milhões de portugueses espalhados pelo Mundo.

Alguns sites a consultar sobre as origens do 10 de Junho:
http://www.ics.ul.pt/agenda/seminarioshistoria/pdf/2005-12/resumo_isabel_joao.pdf

10 de Junho no Website Junior:
http://www.junior.te.pt/servlets/Rua?P=Portugal&ID=209

O nosso Portugal:
http://www.portugal.gov.pt/Portal/PT/Portugal
http://pt.wikipedia.org/wiki/Portugal

 

 

«DIA MUNDIAL DA CRIANÇA»

FELIZ e ALEGRE «DIA DA CRIANÇA»

 

 

Dia Mundial da Poesia

Poesia

Ai deixa, deixa lá que a Poesia
no perfume das flores, no quebrar
das ondas pela praia,
na alegria
das crianças que riem sem porquê
- deixa lá que se exprima a Poesia.

Fica sentado ai onde estás, Poeta,
e não mexas os lábios nem os braços:
deixa viver em si;
não tentes segurá-la nos teus braços,
não pretendas vesti-la com palavras...

Se a queres ter,
se a queres sempre ver pairando à flor das coisas, fica aí
no teu cantinho, e nem respires, Poeta, e não te bulas,
pra que ela não dê por ti.

Não a faças fugir, toda assustada
com a tua presença...
Deixa-a nua, pairando à flor das coisas
que ela não sabe que a viste, nem sabe que está nua,
nem sequer sabe que existe...

Sebastião da Gama, Serra-Mãe
Ática, 1996

 

 

 

[Voltar]